Fale conosco pelo WhatsApp

Dermatologia Cirúrgica

A dermatologia cirúrgica é uma área que se responsabiliza justamente pelos procedimentos que são realizados na pele e/ou no tecido celular subcutâneo. Este tipo de intervenção pode ser de caráter cirúrgico, diagnóstico, estético ou oncológico, sendo indicado para restaurar ou preservar a saúde da pele, cabelo e unhas — além de ajudar na identificação de doenças e demais alterações que afetam essas estruturas.

Dermatologia Cirúrgica

A maioria dos procedimentos de dermatologia cirúrgica é minimamente invasiva, sendo que muitos deles podem ser realizados no consultório do especialista e apenas com aplicação de anestesia local, proporcionando um rápido período de recuperação.

Quando a cirurgia é destinada ao tratamento do câncer de pele ou exige lidar com uma porção mais extensa do órgão, pode ser necessária que seja feita em ambiente hospitalar.

A dermatologia cirúrgica é essencial para o tratamento do câncer de pele, o tumor mais frequente no Brasil e no mundo — e que geralmente demanda a retirada da lesão por meio de cirurgia. Muitas vezes, a correção estética do problema é realizada juntamente com a remoção do câncer, proporcionando um resultado estético menos traumático para o paciente.

Além da retirada de cânceres cutâneos, todos os demais procedimentos que envolvem corte ou perfuração da pele e suas estruturas são considerados metodologias da dermatologia cirúrgica, atuando na área da cosmiatria (estética), correção e retirada de lesões cutâneas. As principais condições que são tratadas a partir de uma cirurgia dermatológica são:

  • Remoção de tumores de pele não cancerosos;
  • Remoção de câncer de pele;
  • Remoção de cistos epidérmicos/sebáceos;
  • Tratamento de lesões pré-cancerosas;
  • Suavização de sinais de envelhecimento;
  • Tratamento de acne;
  • Extração de pintas;

Para a realização desses tratamentos, os métodos mais frequentes são:

Eletrocauterização

Também chamada simplesmente de cauterização, a eletrocauterização é um procedimento cirúrgico que utiliza eletricidade e calor para queimar e eliminar uma lesão de pele. Realizado após a assepsia e anestesia local, este é um procedimento normalmente indicado para retirar alguns tipos de tumores benignos, bem como verrugas e queratoses (crescimento anormal das células de queratina).

Curetagem

Esta cirurgia utiliza um instrumento não cortante (chamado cureta) para raspar a pele e, assim, remover tecidos. A curetagem pode ser realizada como procedimento único, indicado especialmente para lesões superficiais como molusco contagioso ou ceratoses seborreicas, ou como complemento ao tratamento de lesões cutâneas mais profundas.

Em casos mais superficiais, este procedimento de dermatologia cirúrgica pode ser realizado apenas com anestesia tópica. Quando a curetagem será mais profunda ou demorada, entretanto, pode ser necessário o uso de uma anestesia local.

Cauterização química

A cauterização química é um procedimento de dermatologia cirúrgica que consiste na aplicação de uma substância cáustica ou ácida sobre a lesão cutânea, com o objetivo de removê-la. Esta técnica é indicada para tratar queratoses, verrugas virais e granulomas piogênicos.

Após a aplicação do produto, a lesão fica esbranquiçada e a pele ao redor pode apresentar irritação, vermelhidão e até inchaço. Nos dias que se seguem após o procedimento, a área escurece e fica enrijecida por conta da morte das células. As crostas que se formam sobre a lesão são eliminadas após duas semanas, aproximadamente.

Excisão

A excisão é um procedimento indicado para remoção de lesões cutâneas, sejam elas benignas ou malignas. Com a ajuda de uma injeção anestésica e um bisturi, o dermatologista retira a pele afetada juntamente com uma margem de segurança que visa garantir que todo o material foi extraído. A ferida cirúrgica é fechada com ajuda de pontos e curativos.

A excisão cirúrgica é indicada não apenas para a remoção de tumores de pele, mas para extração de cistos, lipomas e pintas. A porção de pele removida normalmente é enviada para análise anatomopatológica, permitindo a identificação de tumores, doenças inflamatórias e infecções de pele.

Correção de cicatrizes

Este é um procedimento da dermatologia cirúrgica que visa corrigir a aparência das cicatrizes, de modo que elas fiquem mais uniformes em relação ao tom de pele do paciente e à textura que circunda a região. Esta é uma cirurgia bastante individualizada, indicada para pacientes que se incomodam com a presença de uma cicatriz em determinada parte de seu corpo.

A cicatriz a ser corrigida pelo dermatologista, não necessariamente precisa ser originada por uma ferida, como um corte ou queimadura. Muitos pacientes podem se sentir profundamente incomodados, por exemplo, com as cicatrizes de acne — que também podem ser corrigidas com ajuda da dermatologia cirúrgica, ou até mesmo com procedimentos de dermatologia estética.

Assim como qualquer procedimento cirúrgico, a preparação exigida para uma intervenção de dermatologia cirúrgica exige uma avaliação prévia de um dermatologista qualificado. Este profissional deverá esclarecer todas as dúvidas do paciente a respeito do tratamento e sua forma de execução, apontando os riscos envolvidos e alinhando as expectativas em relação aos resultados.

Os cuidados necessários antes e após o procedimento dependem de acordo com as características clínicas do paciente, o tipo de intervenção e a natureza da lesão de pele que está sendo tratada, avaliada ou corrigida. Dependendo da cirurgia a ser realizada e de seus objetivos, podem ser necessários exames pré-operatórios e cuidados preparatórios específicos.

Para saber mais sobre dermatologia cirúrgica e entender como esta especialidade atua, entre em contato e agende uma consulta.