Fale conosco pelo WhatsApp

A crioterapia, também conhecia por criocirurgia, é um método terapêutico altamente seguro e eficaz baseado no resfriamento rápido da pele, em temperatura extremamente baixa, para o tratamento de lesões cutâneas, como verrugas, por exemplo.

Médico mostra máquina de crioterapia para paciente
Imagem: Shutterstock

Através do resfriamento, a crioterapia provoca inúmeras alterações imunológicas e a destruição dos tecidos acometidos, induzindo a apoptose — nome científico dado à morte celular programada —, permitindo a eliminação de células infectadas e potencialmente cancerosas, mantendo o equilíbrio do organismo.

Normalmente, o resfriamento é feito através de nitrogênio líquido, na temperatura de -195,8 °C, o que torna possível a destruição do tecido doente.

Como funciona a crioterapia?

A aplicação da crioterapia é feita através de um crio-spray, um tipo de spray borrifador adaptado especialmente para a realização deste tratamento.

O crio-spray é responsável por produzir um fino jato de nitrogênio que é aplicado diretamente sobre a lesão, ou então através do congelamento de ponteiras que são encostadas na pele a ser tratada.

Por se tratar de um resfriamento, o tratamento pode causar um certo desconforto em alguns pacientes. Nessas situações, em que geralmente o paciente é exposto por mais tempo ao nitrogênio, pode ser usada uma anestesia tópica para a diminuição dos incômodos.

A duração do procedimento varia de acordo com a lesão a ser tratada. Em lesões benignas, a crioterapia pode ser feita em segundos, enquanto em lesões malignas pode ser necessário um congelamento mais profundo, que dura em torno de dois minutos. E em alguns casos pode ser necessário duas ou até mesmo três sessões para a eficácia do tratamento.

É importante que o paciente tenha conhecimento das particularidades do tratamento. Ainda que possa ser um método complexo, a crioterapia é capaz de fornecer um tratamento rápido e seguro, desde que feito com um dermatologista com conhecimento e aptidão nesta especialidade.

Para que serve a crioterapia?

A crioterapia é um tratamento abrangente e que pode ser utilizado com diversos objetivos e de diversas formas. Entretanto, o uso mais comum deste método é para o tratamento de:

  • Verrugas no corpo, mãos, pés e na região genital;
  • Melanoses solares, ou seja, manchas em decorrência de exposição solar ao longo dos anos;
  • Queratose actínica, uma lesão pré-câncer que também é causada pela exposição ao sol.

A crioterapia também pode ser uma opção para alguns tipos de câncer de pele superficiais e menos agressivos, em que a cirurgia é contraindicada, e até mesmo para o tratamento de vitiligo.

O método também é eficaz no tratamento parcial de grandes lesões, evitando internações e cirurgias mais amplas. Além disso, a crioterapia também possibilita que pacientes com problemas de coagulação, hipertensos ou idosos encontrem um novo método de tratamento.

A recomendação pelo método deve ser feita por um profissional, que irá levar em consideração as particularidades de cada paciente e as individualidades dos casos apresentados.

Quais as contraindicações?

A crioterapia não é indicada para pacientes que estão com alguma infecção na pele. Pacientes que estão grávidas, que apresentam psoríase ou algum tipo de ferida aberta também devem evitar o tratamento.

Como funciona a crioterapia em verrugas?

Uma das utilizações mais populares da crioterapia é para a remoção de verrugas, independentemente da região em que se encontram.

As verrugas são pequenas lesões causadas pelo HPV, abreviação de Papiloma Vírus Humano, e podem ser transmitidas de pessoa para pessoa ou indiretamente, necessitando de atenção e cautela.

Através da crioterapia, as verrugas podem ser facilmente removidas. O nitrogênio líquido é aplicado diretamente na lesão, e não causa nenhum desconforto ao paciente.

Para verrugas pequenas, o tratamento pode ser feito em apenas uma sessão. Após a aplicação, a verruga irá cair espontaneamente em até uma semana. Em verrugas maiores, pode ser necessária mais de uma sessão para a eficácia do tratamento.

Após o procedimento, e com os devidos cuidados que serão indicados pelo dermatologista, a pele fica sem cicatrizes e sem nenhum resquício da lesão.

A crioterapia é extremamente eficaz no tratamento de verrugas, eliminando a lesão e o vírus, fazendo com que o Papiloma Vírus Humano não se espalhe para outras regiões do corpo e não contamine outras pessoas.

Cuidados após a crioterapia

É comum que a pele da região fique avermelhada, dolorida ou até mesmo inchada depois do procedimento. Dependendo do paciente e do local da lesão – rosto, pescoço, colo costas, braços e pernas —, o dermatologista pode indicar o uso de antibióticos.

Dependendo da reação da pele ao tratamento, pode ocorrer a formação de uma crosta na região — com uma pigmentação que pode ser clara ou escura —, que deve cair em até 30 dias após o procedimento.

Independentemente dos sintomas após o procedimento, o paciente deve higienizar a ferida corretamente com água e sabonete específico, evitando possíveis inflamações. Também pode ser necessário o uso de cremes cicatrizantes e é obrigatório o uso de proteção solar — evitando a má aparência após a cicatrização.

Para informações complementares sobre a crioterapia, entre em contato com a Dr. Maria Claudia Luce e marque uma consulta!

Fontes:

Sociedade Brasileira de Dermatologia;

Clínica de Dermatologia – Dr. Maria Claudia Luce.