Fale conosco pelo WhatsApp

Verrugas

imagem ilustrativa de uma verruga

As verrugas são causadas por infecção pelo HPV, mas consistem em lesões benignas na maior parte dos casos, o que não reduz a importância do diagnóstico e auxílio médico especializado

As verrugas são lesões benignas na pele causadas pelo HPV (papilomavírus humano), classificação que engloba mais se 100 tipos de vírus, sendo que a sorologia do HPV responsável pela infecção vai determinar aspectos como tamanho, forma e gravidade da manifestação.

As verrugas surgem devido ao crescimento anormal das células da epiderme, camada mais superficial da pele, em decorrência da ativação pelo vírus. Elas podem acometer qualquer parte do corpo como face, mãos, membros inferiores ou superiores, genitálias e outras.

É possível apresentar uma verruga isolada ou em placas e elas podem espalhar-se com facilidade para outras partes do corpo.

Tipos de verrugas

Os diferentes tipos de verrugas influenciam a forma como essa lesão se manifesta. Conheça a seguir os cinco principais tipos e como identificá-los.

Verruga comum ou vulgar

As verrugas vulgares são as mais comuns e consistem em lesões arredondadas ou de formato irregular, com consistência enrijecida e textura áspera. Apesar de acometer pessoas de qualquer idade, são mais frequentes na infância e adolescência.

Inicialmente elas apresentam cor clara e esbranquiçada e pontos escuros, mas é comum mudarem de cor posteriormente.

Essa ocorrência manifesta-se frequentemente em regiões mais expostas do corpo, como mãos, dedos, cotovelos, joelhos e próximo às unhas, recebendo o nome de verrugas periungueais.

Verruga plantar

São lesões que se manifestam na sola dos pés e causam dor e desconforto aos pacientes que não raramente as confundem com calos.

Ela apresenta área irregular e pele endurecida no entorno, crescendo internamente devido à pressão dos pés, o que provoca dor ao caminhar.

Pode se manifestar em placas, com a presença de verrugas menores no entorno, resultando no que é chamado de verrugas plantares em mosaico.

Verruga filiforme

A verruga filiforme acomete pessoas com mais de 60 anos e manifesta-se por meio de lesões mais finas e alongadas que afetam principalmente a face, pescoço, pálpebras e lábios.

Verruga plana

Consiste na formação localizada de múltiplas pápulas amareladas ou acastanhadas com diâmetro pequeno de até 5mm. Elas são mais proeminentes do que as verrugas comuns e também mais suaves ao toque. Ocorrem com mais frequência na face.

Verruga genital

A verruga genital, também chamada de condilomas acuminados, acomete as genitálias femininas ou masculinas, formando-se nas mucosas genitais, perianais, da boca ou da uretra.

Diferentemente das demais verrugas, a genital pode ser precursora de tumores malignos, como o câncer de colo do útero e de pênis, de forma que o diagnóstico e remoção são fundamentais à saúde do paciente.

A lesão genital apresenta textura macia e cor rosada, podendo proliferar-se na região com facilidade e aparentar uma couve-flor devido à extensão e sobreposição de várias verrugas.

Como tirar verrugas?

O tratamento de verrugas deve ser indicado pelo dermatologista após diagnóstico do quadro, o que inclui avaliação clínica e, em alguns, biópsia para identificar o sorotipo do HPV.

É muito comum que as verrugas regridam espontaneamente devido à ação do sistema imunológico que combate o vírus, mas o indivíduo pode transmitir para outras pessoas mesmo quando não apresenta nenhuma manifestação.

Por conta disso, pacientes imunossuprimidos têm maior tendência a manifestar verrugas, caso tenham contato com o HPV.

Em casos de verrugas isoladas e com menores riscos ao paciente, o especialista pode prescrever o uso de medicações tópicas com substâncias ativas como ácido acetilsalicílico ou ácido lático.

Também existem alguns procedimentos para eliminar as verrugas que podem ser realizados no próprio consultório médico, como a cauterização química, a remoção por eletrocauterização, a crioterapia (que utiliza nitrogênio líquido para retirada da lesão) ou o laser.

A técnica mais indicada vai depender diretamente das particularidades do caso, e apenas um médico dermatologista pode fazer essa avaliação.

Recomenda-se não fazer tentativas caseiras para remover a verrugas, uma vez que essas práticas podem causar infecções com agravamento do quadro.

Sintomas das verrugas

É muito comum que as verrugas sejam assintomáticas e que apenas o crescimento da pele indique a presença do problema. Exceções incluem a verruga plantar, que dói quando o paciente acometido caminha e a verruga genital que causa coceira.

Como se pega verrugas?

Uma vez que as verrugas são causadas pelo HPV, o contágio pode ocorrer quando uma pessoa tem contato direto com objetos contaminados, durante as relações sexuais, por pequenos ferimentos na pele ou durante o parto via materno-fetal.

Prevenção do HPV

A prevenção das verrugas inclui principalmente evitar o contato com o HPV. Como o sorotipo responsável pela verruga genital é transmissível por meio de relações sexuais, a recomendação é usar preservativo em todas as relações, incluindo nas orais.

As lesões na pele podem servir de porta de entrada para diferentes tipos de HPV, sendo importante não coçar ou tocar as feridas na pele, evitando a contaminação por autoinoculação.

Também é importante evitar contato direto com lesão de terceiros e compartilhamento de objetos pessoais, como toalhas e roupas.

Caso identifique o crescimento anormal da pele e formações de verruga, busque auxílio dermatológico especializado para diagnóstico e tratamento, especialmente se sentir desconfortos associados, como dor, sangramento da lesão ou coceira.

Para saber mais sobre verrugas entre em contato e agende uma consulta com a Dra. Maria Claudia, dermatologista e especialista em medicina estética.

Fontes:

Biblioteca Virtual em Saúde;

Rede D’Or São Luiz;

Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Dra. Maria Claudia Luce

Formada em medicina pela Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) e com residência em dermatologia no Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE), a dermatologista Dra. Maria Claudia Luce é membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia e sócia-proprietária da Clínica Sense.

ATENDIMENTO PARTICULAR

Preencha o formulário e aguarde nosso contato ou se preferir, ligue:
11 2306-1192

Horário de funcionamento: 09h às 20h