Fale conosco pelo WhatsApp

Dermatologia Clínica

Embora a maioria das pessoas acredite que o dermatologista atua apenas promovendo a melhoria estética dos pacientes, este é um profissional que cuida da saúde da pele como um todo. A dermatologia clínica é justamente o segmento que se responsabiliza por avaliar, diagnosticar, prevenir e/ou tratar as doenças e alterações que acometem a pele.

Dermatologia Clínica

Todas as estruturas consideradas anexas da pele — tais como cabelos, unhas, pelos e tecido subcutâneo — também fazem parte da área de atuação da dermatologia clínica, que zela principalmente por uma pele saudável em todas as fases da vida.

Dermatoscopia

A dermatoscopia é um método diagnóstico não invasivo utilizado para avaliar pintas e outros tipos de lesões pigmentadas e não pigmentadas na pele. O exame é feito com auxílio de um aparelho chamado dermatoscópio que emite uma luz e através de uma lente especializada permite visualização das estruturas internas da pele de maneira aumentada, cerca de 10 a 20 vezes. É um procedimento completamente indolor.

A realização deste exame garante um diagnóstico preciso, principalmente para diferenciar lesões suspeitas malignas de benignas, evitando, muitas vezes, uma cirurgia desnecessária. A dermatoscopia também pode ser utilizada para mapear os nevos (pintas), que são arquivados em imagens de alta resolução para futura comparação ao longo do tempo, permitindo o acompanhamento das lesões.

Cuidados com as unhas

Unhas fracas e onicomicoses (micose nas unhas) são alguns dos problemas mais comuns que demandam acompanhamento da dermatologia clínica. Existem muitas doenças dermatológicas que podem levar à fragilidade das unhas e, por isso, é necessário que o paciente seja avaliado pelo especialista.

Tratamento de melasma

O melasma é uma condição que se caracteriza pelo aparecimento de manchas escuras na pele, especialmente na região do rosto, braços, pescoço e colo. O dermatologista é o profissional mais indicado para diagnosticar e tratar essa condição.

Tratamento para acne

Muito comum entre a população de modo geral, sobretudo na adolescência, os cravos e espinhas são formados a partir de um processo inflamatório das glândulas sebáceas e dos folículos pilosos. As áreas mais afetadas são o rosto, pescoço, peito e costas, e seu aparecimento pode causar grandes prejuízos à autoestima do paciente.

O ideal é que a acne seja tratada pelo dermatologista o quanto antes, com o intuito de evitar que o paciente fique com cicatrizes e manchas. O tratamento mais indicado para acne varia de acordo com o grau do problema, e pode incluir o uso de medicamentos tópicos, orais ou procedimentos como peelings, laser ou microagulhamento. Apenas o profissional especializado em dermatologia clínica pode avaliar o caso e indicar a melhor metodologia para o paciente.

Tratamento para vitiligo

Caracterizada pela perda de coloração da pele, o vitiligo é uma doença que se manifesta por meio do aparecimento de lesões cutâneas brancas de tamanho variável. Embora não cause prejuízos à saúde física do paciente, esta é uma alteração que pode desencadear sintomas emocionais associados à aparência. O tratamento é sempre individualizado e deve ser conduzido pelo dermatologista, que leva em conta as características da pele de cada paciente.

Tratamento de micoses

Podendo atingir a pele, unhas e até mesmo os cabelos, as micoses são infecções causadas por fungos e podem se manifestar de diferentes formas — variando de acordo com o tipo de agente causador do problema. O tratamento também depende diretamente do tipo de fungo presente na pele do paciente, e a Dermatologia Clínica tem um papel fundamental na identificação do microrganismo e indicação da abordagem terapêutica mais adequada.

Tratamento de rosácea

A rosácea é uma doença vascular inflamatória de caráter crônico que se manifesta por meio de uma pele mais sensível, seca e com manchas avermelhadas. Aos poucos, esta vermelhidão tende a se tornar permanente, e podem aparecer pústulas que lembram acne. Não existe uma cura definitiva para a rosácea, mas é possível controlar o problema com ajuda da dermatologia clínica, que variam conforme a fase clínica em que o paciente está.

Cabe ao médico dermatologista avaliar o grau da doença, a fase em que ela se encontra e analisar as características clínicas do paciente, indicando assim o melhor tratamento para amenizar os sintomas. Muitas vezes, o acompanhamento do problema precisa ser feito também com a participação de um oftalmologista, já que a rosácea pode causar sintomas oculares como olho seco e inflamação das pálpebras.

Muitas pessoas acreditam que devem se consultar com um dermatologista apenas quando há algum problema grave de pele — como câncer — ou algum incômodo relacionado à aparência cutânea. O ideal, entretanto, é que o especialista seja consultado a qualquer sinal de alteração na pele, ou em suas estruturas anexas além de realizar consulta de rotina regularmente para avaliação e prevenção de doenças de pele e envelhecimento.

Uma vez que a dermatologia clínica preza pela saúde da pele e pela qualidade de vida do paciente, promovendo também sua autoestima e um bom relacionamento com o próprio corpo. Entre em contato e agende uma consulta.