Fale conosco pelo WhatsApp Fale conosco pelo WhatsAppEnvie uma mensagem

Quais são os tratamentos para queloide?

Cicatriz de queloide em uma mão - tratamentos para queloide
01 set, 2021

Conheça os procedimentos que podem ajudar a reduzir a cicatriz e melhorar sua aparência

Queloide é um crescimento anormal de tecido cicatricial que se forma no local de um traumatismo, corte ou cirurgia de pele. Trata-se de uma alteração benigna, portanto, sem riscos para a saúde.

Ele é causado por uma cicatrização exagerada na pele: se uma pessoa tem tendência a formar queloides, qualquer lesão capaz de gerar uma cicatriz pode levar à sua formação. Isso inclui um simples corte, uma cirurgia, uma queimadura ou até mesmo cicatrizes de acne severa. Porém, existem casos em que as cicatrizes queloidianas se formam sem que a pessoa tenha se ferido, de forma espontânea.

Além disso, ainda que a maioria dos queloides seja indolor, é possível que eles causem coceira leve ou sensação de queimação ao redor da cicatriz. Dependendo do local afetado, também pode ocorrer a limitação do movimento ou dor durante a ação. O queloide é mais comum em áreas como ombros, costas e mamas. Também pode aparecer nas orelhas, após a colocação de brincos e piercings.

É comum confundir o queloide com uma cicatriz hipertrófica, mas esta não ultrapassa os limites da lesão, ou seja, ela não cresce além da linha do corte, atingindo apenas a pele ao redor. São cicatrizes elevadas, mas que não se tornam mais largas que a lesão inicial — diferentemente do queloide, que acomete uma área além da cicatriz ou na qual antes não havia cicatriz.

Indivíduos com pigmentação mais escura, pessoas negras e pessoas asiáticas são mais propensos a desenvolver queloides.

Tratamentos para queloide

Depois que o queloide aparece, a escolha do melhor tratamento vai depender de alguns fatores que o dermatologista leva em consideração, como tamanho, local e a origem dessa cicatriz. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), existem algumas opções de tratamentos para queloide que podem melhorar sua aparência. São elas:

  • Tratamento com laser: a técnica pode reduzir a altura do queloide e fazer com que a diferença de cor da lesão para o resto da pele fique imperceptível. Mas para que o resultado do procedimento seja eficaz, é recomendado que ele seja feito em conjunto com outros possíveis tratamentos para queloide, como a aplicação de injeções de corticosteroide ou compressão;
  • Crioterapia: entre os tratamentos para queloide, este faz uso do nitrogênio líquido para congelar o queloide de dentro para fora. Funciona melhor em cicatrizes pequenas, a fim de reduzir a firmeza e o tamanho da lesão;
  • Radiação: essa opção pode ser realizada de duas maneiras — aplicada de maneira isolada, para reduzir o tamanho do queloide, ou após a remoção cirúrgica da cicatriz para prevenir o retorno da lesão.
  • Injeção de corticoide: os corticoides podem ser aplicados diretamente no tecido da cicatriz com o objetivo de diminuir a inflamação local, fazendo com que o queloide fique mais plano;
  • Curativo de silicone: entre as opções de tratamentos para queloide existe ainda a possibilidade de uso do curativo de silicone. Auto aderente e impermeável, deve ser aplicado sobre o queloide durante 12 horas, por um período de três meses. Esse curativo promove a diminuição da vermelhidão da pele e da altura da cicatriz;
  • Remoção cirúrgica: muitas vezes, mesmo com tantas opções de tratamentos para queloide, é necessário recorrer à cirurgia. Porém, pode haver recidiva, ou seja, a lesão pode voltar. Os melhores resultados em cirurgia são aqueles que removem parte do queloide e em que as incisões são realizadas sem atingir a pele ao redor da lesão, evitando o surgimento de uma nova cicatriz.

Além dos procedimentos, é recomendado o uso de roupas de compressão. Elas ajudam a diminuir a vascularização e inibir a evolução do queloide. Essas roupas são indicadas, principalmente, para pacientes com lesões extensas.

Proteger a pele com queloide da radiação solar também é importante para evitar o escurecimento do local. O ideal é usar um protetor solar com FPS 30, no mínimo. Dependendo da parte do corpo lesionada, deve-se utilizar chapéus, óculos escuros e roupas com proteção contra os raios ultravioleta.

Como os tratamentos para queloides não são seguramente eficazes, o ideal é evitar a formação da cicatriz. Antes de um procedimento cirúrgico, o médico deve ser informado sobre o histórico de cicatrização anormal ou história familiar de formação de queloides.

Se o queloide te incomoda, saiba que existem diversas opções de tratamentos para queloide que podem reduzir a cicatriz e melhorar sua aparência. Para saber mais sobre o assunto, agende uma consulta com a Dra. Maria Claudia.

Fontes:

Sociedade Brasileira de Dermatologia;

Manual MSD.

Autor: Dra. Maria Claudia

Formada em Medicina pela Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) e pós-graduada em Medicina de Família pela mesma instituição, a dermatologista Dra. Maria Claudia Alves Luce fez Residência Médica em Dermatologia no Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo (HSPE) e possui título de especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). Atualmente realiza Pós-Graduação em Dermatocosmiatria pela Faculdade de Medicina do ABC (FmABC).